Posts Tagged #potencial

Criatividade: esse 'bicho'

Criar é um desafio ‘do caraças’. Ter como hábito criar é uma missão quase impossível. E quando criar é a nossa vida, então é como se tivéssemos o corpo a pedir chuva! Porquê? Porque criar é o desafio mais esgotante, mais frustrante, mais difícil e exigente, mais inseguro, mais stressante e desgastante que conheço. Com isto não diminuo coisas como a gestão ou a execução, até porque todas elas, quando juntas, fazem um ‘bolo’ delicioso. Apenas foco o quão difícil e frustrante pode ser a nossa vida quando decidimos ser ‘criadores’. E atenção porque criadores podemos ser todos, e não apenas aquela estirpe de iluminados, os ‘criativos’. Todos nós temos potencial criativo dentro de nós, que podem, isso sim, diferir de área para área conforme a pessoa. No como usamos esse potencial criativo reside a diferença entre os criadores ocasionais (trabalho relativamente fácil), os criadores frequentes (trabalho menos fácil, mas ainda relativamente pouco stressante) e os criadores compulsivos (trabalho frustrante e esgotante).

Adoro falar de Thomas Alva Edison. O inventor da lâmpada foi um dos maiores criadores e criativos que o nosso mundo conheceu. Teve uma vida de loucos, sempre pensando naquilo que criaria a seguir. Sim, porque Edison não inventou apenas a lâmpada eléctrica, mas patenteou mais de 1000 inventos seus! Mais, num espaço de 4 anos, Edison patenteou cerca de 300 inventos, o que dá uma média de 1 criação a cada 5 dias! UAU! Que vida teve este homem! E não foram só as invenções: foram as tentativas até chegar às invenções. Até chegar ao filamento correcto que permitisse a lâmpada eléctrica, Edison experimentou milhares de possibilidades. E só assim conseguiu criar alguma coisa que mudou, e ainda muda o nosso mundo, a cada vez que carregamos num interruptor para acender uma luz de nossa casa.

Porquê Edison? Porque é um exemplo tremendo. Não conhecemos grande parte da sua vida (duvido que muitos de nós saibam mais dele do que o facto de ele ter sido o inventor da lâmpada eléctrica…), mas ele mudou a nossa vida e a do nosso mundo. Porque a criação, a criatividade é aquilo que traz mudança ao mundo. Criar pode ser a criação de soluções para um problema existente, mas eu vejo um nível de criatividade mais elevado. No meu entender, a melhor definição de criar talvez seja a ‘antecipação da solução para um problema que ainda não existe, de forma a que ele nunca exista’. É este o desafio de criar. Quais serão os problemas do futuro? Pensemos nas suas soluções. Mal Fletcher aborda isto levando-nos a pensar no ‘como queremos ver a nossa cidade em 5, 10 ou 20 anos?’ O que é isto? É trazer resposta às necessidades do presente, sim, mas também pensar, projectar e lançar as soluções dos problemas de amanhã. Criar é acção e não reacção. Uma criação por reacção é sempre condicionada, enquanto uma criação por antecipação, além de mais efectiva, é livre da força da circunstâncias.

Temos 3 hipóteses. Sou eu um criativo? ‘Não’, ‘sim’ e ‘quero ser’ são as 3 respostas possíveis. A primeira é errada. Todos temos potencial criativo dentro de nós. Por exemplo, organizar é criatividade, porque se trata de ‘criar organização’. Não são apenas os músicos, os artistas, ou os ‘predestinados’ que são seres criativos. Todos somos seres criativos, basta darmos espaço a que essa criatividade tenha lugar na nossa vida, no nosso dia-a-dia. A segunda é certa pelas razões que enumerei. Mas não esquecer que ser criativo não é apenas ter ideias, mas sim ter ideias que mudam o nosso mundo. Eleva a fasquia das tuas criações. Estarão elas a mudar, a tocar a vida de alguém? Se a resposta é não, então estás aquém do potencial da criatividade na tua vida. Pensa no que podes criar que melhore a vida de alguém. Isso elevará a tua bitola e também o teu sentido de realização pessoal.

E a terceira hipótese? Grande resposta. É o assumir de que temos sido menos criativos ou completamente ‘acriativos’ ultimamente. É o dizer ‘eu quero criar’, ‘eu quero melhorar a vida de alguém’. Como criar?

Abre os olhos
Antes de criarmos soluções para problemas futuros, temos de criar soluções para problemas actuais. Olha à tua volta e vê quais os grandes problemas da tua empresa, comunidade, família, ou grupo. Pensa em como os podes solucionar. Mesmo que sejam problemas que parecem pequenos, aproveita-os, pensa neles, treina a tua criatividade. Não te preocupes com o tamanho pequeno desses problemas: só alguém que esteja treinado na resolução de pequenos problemas, poderá almejar trazer boas soluções a problemas de dimensão grande…

Mãos à Obra
Não fiques a olhar à volta. Arregaça as mangas e ‘do it’! Nada é demasiado pequeno que não mereça o nosso esforço nem nada é demasiado grande que não possa ser alterado. Se olharmos, identificarmos, pensarmos e, após isso, colocarmos mãos à obra, então a solução que trouxermos será efectiva. Além disso veremos até que ponto o nosso contributo é o correcto, ou até se pode ser ‘afinado’ aqui e ali para ser ainda melhor. Nada disso saberemos se não colocarmos também as nossas mãos na realização e efectivação de uma criação nossa…

É preciso mudar? MUDA!
A nossa criação é desaquada na solução? Então pensa, repensa, olha novamente, vê o que correu mal e refaz, sem medos nem receios. O pior erro não é cometido quando fazemos alguma coisa mal, mas quando insistimos num determinado erro. Não resulta? Então como podemos fazer com que resulte?

Contributo Externo
Precioso. O contributo de quem está de fora pode ser o teu maior inimigo ou o teu maior amigo. Inimigo será se te deixares abater pelas críticas e deixares de criar e trabalhar. Amigo se olhares para aquilo que os outros dizem e aproveitares isso para te reposicionares. Haverá sempre gente a ir longe demais, quer na crítica, quer no elogio. Mas as críticas e os elogios podem ser uma ajuda, se os souberes interpretar devidamente. Mas nunca, sublinho, NUNCA, deixes que essas mesmas críticas ou elogios te coloquem no chão ou nas nuvens. Pés bem assentes na terra são necessários. Temos muito para melhorar, mas temos também todas as capacidade para o fazer, assim as saibamos trabalhar.

Antecipa
Depois de seres capaz de trazer solução aos problemas de hoje, foca-te nos de amanhã. Evitarás embaraços e tropeços futuros se o fizeres com sabedoria. Antecipa o futuro e as possibilidades que ele te pode abrir e pensa em como podes lá chegar, planeando soluções. Quando criamos, fazêmo-lo para trazer o amanhã para o hoje, porque criar antecipa o futuro. Fá-lo! Sê um pro-activo criador de futuro e não um mero agente de reacção! Pensa o futuro, planeio, pensa no para onde queres ir, cria e visualiza o como lá chegar! Antecipa! Traz o futuro para mais perto, criando-o!

Sejamos criativos. Nas nossas empresas, organizações, famílias ou grupos, trabalhemos no futuro e façamos delas hoje aquilo que gostaríamos que fossem no amanhã. Liberta a tua criatividade e a dos outros. É a melhor maneira de escreveres pró-activamente o futuro…

Anúncios

, , , ,

1 Comentário

%d bloggers like this: