Posts Tagged velho do restelo

Velhos do Restelo há muitos, seu palerma!

Somos seres humanos, e isso significa que ansiamos a aprovação alheia. Mas até que ponto essa aprovação é positiva?

Considero que há dois tipos de crítica que podem ser bem melhores que o elogio ou a aprovação. A crítica justa no tempo e lugar certo, e a crítica injusta. A crítica injusta?!?! Sim, essa mesmo. Mas comecemos pela primeira…

Uma crítica justa, no tempo e no lugar certo

Pode ser uma excelente companheira de viagem. Nem sempre quem nos critica quer o nosso mal. Há críticas que são, de facto, justas. E quando essas críticas são feitas na hora certa e nas circunstâncias certas, podem ser excelentes para o nosso crescimento, assim deixemos de lado o nosso orgulho. Convenhamos que há muita gente cuja crítica é justa, mas em timings e/ou lugares completamente desadequados. Acontece. Saibamos também distinguir estas e teremos aí um excelente aliado…

Vamos lá à crítica injusta

Refaço. Não lhe chamarei crítica injusta. Chamar-lhe-ei crítica ressentida. Uma crítica que tem por base, regra geral a utilização de métodos diferentes, e que ataca, também na generalidade, a obtenção de resultados diferentes. Esta crítica é muito metódica, e raramente se esquece de pormenores. É mordaz, desonesta, e tem como pano de fundo um sentimento de inveja, ressentimento (indirecto, não relacionado com a pessoa em questão, mas com aquilo que alcançou) ou ressabiamento. É uma crítica que nada tem de clara, ou construtiva (embora várias vezes se mascare de tal). É uma crítica que não tenta construir nada. É uma crítica que está baseada na premissa ‘eu nunca alcancei, tu também não alcançarás’, mas sem nunca o admitir. Chega a ser dilacerante, porque ataca sem dó nem piedade. Não raras vezes, e quando se apercebe do facto de ainda não ter alcançado os seus propósitos, coloca em causa o coração, as intenções, as motivações, sempre com a intenção de denegrir, de diminuir, de abater.

Mas vamos então a isto. Quem me critica diz mais de mim do que quem me elogia. Vamos pôr isto em português ainda mais corrente para ser claro. Há pessoas a quem devemos agradecer por não nos dirigirem elogios, porque quando isso acontecer é muito mau sinal. Se alguém que representa tudo o que tu não queres te lança um elogio, só há uma de duas hipóteses: ou esse elogio é veneno, ou então estás a aproximar-te demasiado do seu registo. Perante isto? Fugir a sete pés…

Tantas vezes obcecados com os elogios, tardamos em perceber que há críticas que são o maior elogio que nos podem fazer, e que a ausência delas é também um sinal: talvez estejamos a alcançar menos do que achamos. Talvez estejamos a ser menos efectivos do que pensamos. Fazermos algo de relevante e esperar não receber críticas é utópico, e mais do que isso, é sinal de que dependemos mais da aprovação alheia do que devíamos. Colocarmo-nos em linha de tiro e esperar que ninguém dispare é, no mínimo, de uma ingenuidade atroz.

Pensemos nisto. Há quanto tempo não somos criticados? Estaremos nós completamente reféns de elogios e/ou aprovações de gente que não nos é nada? Qual a aprovação que realmente conta para cada um de nós?

Eu confesso que aprecio a coragem dos críticos. Ter a capacidade de falar sem fazer grande coisa é obra. Claro que nenhum deles admite isso em momento algum. Há sempre um feito brutal (dizem eles) que fizeram algures e que para sempre lhes há-de dar a capacidade de comentar e bater em tudo o que mexe. Ainda bem para eles.

Talvez alguns de nós tenhamos de escolher em que cadeira nos sentamos. Lembremo-nos de um facto simples: quantos críticos de algo ficaram na história? Ao velho do restelo, figura mítica do imaginário nacional, há alguém que lhe saiba o nome verdadeiro? Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, a todos estes e a tantos outros sabemos o nome, de todos eles reza a História. O velho do restelo é, apenas e só, o velho do restelo. Sem nome. Sem rosto. Sem nenhum facto relevante relatado nos livros. Um anónimo que a História e os factos se encarregaram de ridicularizar.

Anúncios

, , , ,

Deixe um comentário

%d bloggers like this: